• gigatron

Como pagar menos impostos como PJ no Brasil?

Se já passou pela sua cabeça tirar um CNPJ para aumentar suas possibilidades de contratação e ainda pagar menos impostos, você deve estar com algumas dúvidas sobre a parte legal da questão.


Como administrar as obrigações com a Receita Federal? E os tributos? Para quem sempre foi registrado como CLT, pode ser difícil saber lidar com tudo isso, não é mesmo?


Quanto de imposto paga um PJ? Quais são os encargos de um PJ?

De maneira ampla, no Simples Nacional o empreendedor PJ paga em 9,3% de impostos – sendo 6% do Simples (DARF única com impostos) e 3,3% do INSS.


No Lucro Presumido, com um faturamento de até R$ 187.500,00 por trimestre, os impostos são de 11,33% da parte federal mais o ISS, que pode variar de 2% a 5%. A soma destes valores resulta em uma alíquota total de 13,33% a 16,33%.


Quer pagar menos impostos? Conheça boas práticas para pessoas jurídicas

Também é interessante conhecer algumas boas práticas para pagar menos impostos sendo Pessoa Jurídica. Além de pagar menos impostos, essas dicas também permitem que você atue sempre de forma correta e dentro da lei, garantindo sua segurança e de quem vai contratá-lo.


Não se preocupe, vamos explicar tudo para ajudá-lo como PJ!


1. Tenha o enquadramento fiscal adequado

Quando você escolhe tirar um CNPJ precisa escolher o enquadramento fiscal adequado, sendo os três mais comuns: Simples Nacional, Lucro Presumido e Lucro Real.


Calma. Já adiantamos aqui que provavelmente você vai se encaixar no chamado Simples Nacional, que é o plano com menores impostos e com uma única guia de pagamento chamada DAS – Documento de Arrecadação do Simples Nacional.


Essa escolha é fundamental para pagar menos impostos e manter o CNPJ em dia!


2. Desenvolva um planejamento tributário adequado

Não é tão complexo quanto parece. Um planejamento tributário nada mais é do que uma espécie de “checklist” de todas as suas obrigações fiscais. Para isso, você precisa entender o seu mercado e sua realidade profissional, pois tudo isso impacta no volume de impostos que terá que pagar.


Por isso, também precisa de um planejamento financeiro. Você precisa avaliar uma série de fatores como: área de atuação, faturamento mensal, custos e despesas (por exemplo, aluguel, equipamentos, contador e outros), e relacionar essas informações com a margem de lucro que deseja em cada serviço que precise emitir uma nota fiscal.


Afinal, tudo isso vai refletir diretamente na sua conta bancária e no quanto você deve cobrar pelo seu serviço.


Com essa checklist simples você consegue se organizar e ficar tranquilo com suas finanças.


3. Não sonegue impostos ou deixe de efetuar a tributação correta

Um dos erros mais comuns de quem opta por ser PJ e quer pagar menos impostos sendo Pessoa Jurídica, está na famosa sonegação de impostos.


É importante esclarecer que a sonegação não ocorre apenas quando se deixa de pagar – o que pode acontecer até por distração ou falta de conhecimento suficiente do assunto -, mas também por escolher uma atividade diferente no momento da abertura da empresa só para pagar menos tributos, por omitir faturamento de um cliente que não pediu nota fiscal, entre outras atitudes nada honestas.


Sonegar imposto é crime fiscal, tem multas pesadas e pode até acabar em cadeia. Por isso, nunca escolha tal saída.


Lembre-se de manter as obrigações fiscais em dia e tenha sempre controle dos impostos, para que sejam pagos nas datas corretas e que todas as informações obrigatórias sejam disponibilizadas ao Leão da Receita. Assim você facilita sua vida, evita dores de cabeça, amolações burocráticas e insônias futuras.


Para estar sempre em dia com as obrigações fiscais do seu CNPJ, o ideal é contar com uma contabilidade online, onde você consegue até mesmo resolver tudo em uma plataforma online.


4. Crie uma rotina de processos eficiente e segura

Mais uma dica simples para pagar menos impostos sendo pessoa jurídica, mas que, na correria do dia a dia, muitos ainda esquecem: criar uma rotina de processos segura e eficiente a ser seguida com relação aos tributos, obrigações fiscais e tributárias e outros detalhes da sua relação com a Receita.


Engana-se quem pensa que tais métodos só devem ser utilizados por empresas maiores. Pelo contrário, quando você resolve trabalhar como PJ precisa ficar de olho para cuidar dessas pendências legais, mesmo que sejam bem mais simples e em menor quantidade.


Quando você faz esse acompanhamento fica muito mais fácil de se organizar e não perder tempo, principalmente se você contar com o apoio de uma empresa de contabilidade especializada em facilitar a rotina dos PJs.


5. Acompanhe o calendário tributário e fiscal com cuidado

Por último, mas não menos importante: esteja sempre atento ao calendário tributário, já que é comum ocorrerem mudanças nas datas de pagamentos e ainda corremos o risco da criação de novas obrigações, que podem ser exigíveis de você enquanto pessoa jurídica.

9 visualizações

Posts recentes

Ver tudo