top of page
  • Foto do escritorgigatron

Motivos para fazer uma reserva de emergência

Ninguém está livre dos imprevistos da vida. Uma despesa médica de última hora, um gasto inesperado ou uma repentina situação de desemprego.

Eles acontecem o tempo todo e é aí que uma reserva de emergência pode ajudar. Ela nada mais é do que aquele dinheiro guardado para qualquer necessidade que surgir, ou seja, que serve para aliviar os momentos de aperto financeiro.


Conforme o nome sugere, é uma quantia de dinheiro que fica disponível para suprir demandas urgentes relacionadas às suas finanças. Funciona como um colchão financeiro, que aumenta a segurança em momentos difíceis, como perda de emprego ou gastos com saúde.


O objetivo da reserva emergencial é, portanto, lhe oferecer mais tranquilidade no futuro. Afinal, imprevistos sempre podem acontecer. O ideal é que o fundo emergencial contemple o valor necessário para cobrir de três a seis meses de despesas pessoais.


Segundo a pesquisa “Raio X do Investidor Brasileiro” da Anbima, a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais, a reserva de emergência tomou o lugar da casa própria como principal destino das economias dos brasileiros em 2020.


Ninguém prevê o futuro, mas é possível se preparar para ele. Por isso, todo mundo precisa ter uma reserva de emergência.


Pensando nisso, trouxemos 5 motivos para ter uma reserva de emergência. Confira a seguir porque você precisa ter uma e qual a importância de poupar para as eventualidades.


Ter controle da sua vida financeira


Quando falamos em reserva de emergência, automaticamente, estamos falando de planejamento. Compreender a importância deste tipo de fundo é deixar de lado um comportamento imediatista com relação ao dinheiro, ainda praticado por muitos brasileiros.


Para se ter ideia, o país soma mais de 60 milhões de inadimplentes, de acordo com dados da Serasa Experian. Isso significa que ainda é muito grande o número de pessoas que gastam mais do que ganham e, consequentemente, não conseguem quitar as suas dívidas.


Criar uma reserva de emergência é o primeiro passo para conquistar o controle financeiro, visto que será preciso economizar para cumprir essa tarefa. Assim, o poupador aprenderá a encontrar o equilíbrio entre o que ganha e o que gasta.


Uma vez criada, a reserva servirá para protegê-lo de situações inesperadas que possam provocar o desequilíbrio financeiro. Os recursos deste tipo de fundo funcionam como uma espécie de “colchão” de segurança que será utilizado num momento de emergência.



Proteção do patrimônio


Outro motivo para ter uma reserva de emergência é conseguir proteger as coisas que são importantes para você. Alguns bens, como imóveis e veículos, sofrem com a depreciação e demandam manutenções eventuais.


Por isso, se você tem qualquer propriedade, é importante ter uma quantia de dinheiro guardada para arcar com despesas extras. Afinal, a construção do patrimônio envolve esforço e ninguém deseja perdê-lo por conta de imprevistos.


Sendo assim, é preciso pensar no seu custo de vida e na quantidade de bens que você tem. O ideal é que a reserva de emergência tenha potencial para proteger tanto o seu orçamento do mês quanto suas propriedades em momentos difíceis.


Ter poder de escolha quando o assunto é dinheiro


Quem tem uma reserva de emergência consegue fazer melhores escolhas. Isso acontece porque ela não fica vulnerável nos momentos de dificuldade. Assim, não precisa aceitar ou fazer qualquer coisa no desespero.


Isso quer dizer que a pessoa consegue ter uma certa calma para analisar propostas de empregos, aproveitar boas oportunidades que surgirem e tomar decisões financeiras com cautela.


Liberdade profissional


Quem tem uma reserva de emergência pode se sentir mais livre para fazer escolhas — inclusive, profissionais. Uma pessoa que esteja organizada financeiramente terá mais facilidade, por exemplo, para decidir sair de um emprego ou mesmo mudar de carreira.


Quem opta por trabalhar de forma autônoma, precisa dar atenção especial à reserva. Afinal, a rotina pode ter a desvantagem da insegurança ou instabilidade financeira.


Assim, ter um dinheiro reservado é importante para trazer equilíbrio e liberdade na sua profissão. É necessário pensar, por exemplo, em quais serão suas demandas financeiras se você não puder trabalhar por um tempo.


Mais segurança diante do cenário econômico


Em um cenário de crise econômica, é sempre mais seguro poder contar com uma reserva de emergência. Um dos motivos é o fato de o desemprego ter aumentado, o que faz com que a recolocação no mercado de trabalho se torne mais demorada.


Atualmente, o Brasil possui mais de 13 milhões de desempregados, conforme os números mais recentes do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado pelo Ministério do Trabalho e Emprego.


A perda do emprego causa impacto direto na vida das famílias. Por isso, ter uma reserva de emergência é uma forma de enfrentar este momento de forma mais tranquila.


Não é possível saber como serão os reflexos de uma crise econômica, mas há como se precaver. Neste sentido, a reserva de emergência é fundamental para quem prioriza a segurança financeira.


Como fazer uma reserva de emergência?


A primeira coisa que você precisa definir ao fazer uma reserva de emergência é o valor que pretende atingir. O mais comum é ter uma economia seis vezes maior do que os gastos mensais. Por exemplo, se uma família gasta R$ 3.000,00 por mês, considerando todas as despesas, então a reserva financeira precisa ter o valor de R$ 18.000,00.


Ao guardar seis vezes o valor dos gastos mensais, você tem a garantia de manter sua estabilidade financeira pelo mesmo período caso surja um imprevisto, como o fechamento de uma empresa, demissão em um emprego ou a impossibilidade de trabalhar devido a uma condição de saúde, por exemplo.


Depois de definir o valor para a sua reserva, é hora de determinar em quanto tempo você pretende formar o seu fundo. Considerando o exemplo de R$ 18.000,00, se você pretende alcançar esse montante em um ano, então terá que poupar R$ 1.500,00 todos os meses. Quanto maior é o prazo, menor pode ser o valor mensal que deverá ser guardado.


Nesse caso, é importante definir uma quantidade que você possa retirar mensalmente sem afetar o controle financeiro. Por isso, é mais comum que as pessoas utilizem cálculos como 10%, 20% ou 30% das receitas do mês. Por exemplo, em um orçamento de R$ 5.000,00 teríamos os seguintes valores de acordo com o percentual:


10% – R$ 500,00

20% – R$ 1.000,00

30% – R$ 1.500,00


Viu só como é fácil fazer uma reserva financeira? Defina o valor total e o que deverá ser poupado mensalmente para atingir o objetivo no tempo estimado.


Precisa de um banco pra te ajudar na hora de se organizar? A Conta Digital do DotBank é 100% gratuita e feita para você!


Sem análise de crédito na abertura


Acesse todos os serviços de qualquer dispositivo online


Sistema de Gestão integrado ao Banco Digital


Zero burocracia, oferecendo melhores soluções financeiras e praticidade


Atendimento remoto, humano e personalizado


Integração com outros Softwares de Gestão através de API's


9 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

コメント


bottom of page