• gigatron

6 dicas de controle financeiro para o seu negócio



Faça um planejamento financeiro

Sem dúvida, esse é um dos fatores com maior relevância para manter uma boa gestão financeira para negócios de todos os tipos e também de todos os portes. Parte do planejamento estratégico, essa etapa é fundamental para garantir o crescimento sustentável da empresa, pois por mais que o negócio seja lucrativo, muitas vezes ele pode levar mais tempo que o necessário para se desenvolver.


Nesse sentido, desenvolver o planejamento financeiro de forma estratégica, significa conseguir calcular de forma precisa o investimento inicial do negócio, somado ao que foi investido na empresa ao longo de um determinado período de tempo, e somar a essas duas variáveis a previsão de despesas anuais. A partir dessa conta, é possível obter o custo total do negócio ao longo desse período.


Para determinar a previsão de receitas anuais, é preciso somar a estimativa de vendas do negócio e fazer uma comparação com o custo, para entender se a receita é suficiente para garantir o retorno do capital investido. Outro valor que precisa ser somado é o patrimônio da empresa, já considerando os possíveis ajustes patrimoniais, pois estes também são ativos, ou seja, podem ser transformados em dinheiro caso a empresa venha a fechar, por exemplo.


A partir de todos os demonstrativos financeiros do seu negócio em mãos, é possível traçar o planejamento de forma assertiva e estratégica.



Separe as finanças pessoais das empresariais

Para garantir a lucratividade do negócio, é fundamental trabalhar a partir de uma previsão real de faturamento. A partir dela, é possível projetar os ganhos mensais do negócio.


Nesse cenário, um dos erros mais comuns e também mais graves que o empresário pode cometer é misturar o dinheiro pessoal com o dinheiro da empresa, mesmo sendo autônomo. Esse tipo de conduta prejudica o planejamento financeiro do negócio como um todo, afetando o fluxo de caixa e a lucratividade da empresa.


Para facilitar esse controle, você pode contar com softwares de gestão financeira - como o DotBank - que controlam os valores que entram e saem da empresa e apresentam relatórios e extratos para um acompanhamento assertivo das finanças empresariais.



Entenda a diferença entre faturamento e lucro

O faturamento é, por definição, a soma dos lucros obtidos por uma empresa. Em outras palavras, ele corresponde a toda receita que entra na empresa, proveniente tanto da venda de produtos quanto de serviços.


Esse dado, além de ser essencial para acompanhar a saúde financeira de um negócio, é obrigatório para o fisco, justamente por demonstrar qual é o valor referente às operações comerciais de um determinado período.


O lucro, por sua vez, é o valor total que uma empresa possui, depois que os gastos são subtraídos do faturamento. Ele pode ser dividido em lucro bruto e líquido, de acordo com os tipos de gastos de cada negócio.



Classifique os custos fixos e variáveis

Entender os custos do seu negócio é fundamental para a gestão financeira, pois a partir destes valores é possível determinar a viabilidade comercial da empresa e avaliar a possibilidade de gerar lucro.


Nesse sentido, é importante diferenciar os custos fixos dos variáveis:


Custo fixo

Os custos fixos representam gastos que permanecem constantes, independente do quanto a empresa produziu ou vendeu e fazem parte da estrutura do negócio. Alguns exemplos desse tipo de custo em uma empresa:

  • Contas de luz e água;

  • Salário dos funcionários;

  • Aluguel;

  • Materiais de limpeza.


Custo variável

Esse tipo de custo varia diretamente de acordo com a quantidade que a empresa produz ou vende, de forma proporcional.



Controle de fluxo de caixa

Na prática, o fluxo de caixa é a movimentação de entradas e saídas de dinheiro do caixa do seu negócio, ou seja, tudo que sua empresa recebe e paga. Para garantir um bom controle de fluxo de caixa, é fundamental manter um registro detalhado diário, semanal e mensal de ganhos e gastos.


O passo mais importante para organizar o fluxo de caixa do seu negócio é entender que essa é a ferramenta responsável por controlar a movimentação financeira, como:

  • Receitas;

  • Despesas;

  • Contas a pagar ou a receber;

  • Investimentos e inadimplência em um período de tempo predeterminado.


Contar com uma reserva de emergência

Por mais consolidado que o seu negócio possa estar no mercado, é fundamental contar com uma boa reserva financeira para imprevistos e até mesmo investimentos no negócio a médio e longo prazo, sem que isso interfira na saúde financeira da empresa.



O papel das contas digitais no controle financeiro

De acordo com um estudo realizado em 2020 pela Fiserv, empresa norte-americana de tecnologia, aproximadamente 40 milhões de brasileiros possuem uma conta digital. Esse número representa 20% da nossa população.


Isso não chega a ser uma surpresa, pois a conta digital oferece tudo que uma conta tradicional disponibiliza, mais de uma forma muito menos burocrática, com todo o processo online, o que elimina atritos com instituições financeiras e otimiza a rotina do usuário.


Além de oferecer os mesmos serviços que um banco tradicional de uma forma muito descomplicada, as contas digitais também têm outras vantagens. Como toda a sua operação é online e, em sua maioria, as instituições financeiras disponibilizam apps para realizar as operações, muitas delas possibilitam o controle financeiro pelo próprio aplicativo.


Esse é o caso da Conta Digital PJ do DotBank, que facilita o controle e gestão financeira do seu negócio, com a possibilidade de criar cobranças, consultar extratos e relatórios, movimentar o dinheiro da sua conta, transferir e pagar contas – o que ajuda a acompanhar a saúde financeira do seu negócio.


6 visualizações

Posts recentes

Ver tudo